Foto de Luciano

Artista

Luciano

latin tech house

Bio

Luciano é um DJ e produtor musical chileno-suíço cuja história é única. Começando de tocar em clubes de rock no Chile, ajudando a promover a música eletrônica underground aqui, tornando-se mais de uma vez um ponto de referência em Ibiza, com sua residência em Circoloco, bem como suas festas em Vagabundos, até pisar em alguns dos maiores palcos do mundo como as de Time Warp, Kappa Futur Festival e Sonus. Seu tipo inicial de techno mínimo ao longo dos anos evoluiu para uma fusão distinta entre house e techno, e seus sets de DJ sempre foram fortemente influenciados pela música latino-americana. Trazendo seu som para a Europa e, graças à sua própria gravadora Cadenza Records, ele foi capaz de mudar as regras da indústria, tornando-se, na última década, um dos DJs e produtores mais influentes da cena da música eletrônica. Sua total devoção à música que se funde perfeitamente com seu carisma e atitude no palco fizeram de Luciano uma das maiores estrelas da música eletrônica. Luciano, originalmente Lucien Nicolet, nasceu em 24 de fevereiro de 1978 em Montecherand, Suíça, de pai suíço e mãe chilena. Aos 11 anos, mudou-se para Santiago e foi influenciado por sons chilenos e latino-americanos. Seu amor pela música começou quando, aos 12 anos, recebeu um violão como presente de sua mãe. Ele esteve em uma banda de punk rock na escola até os 16 anos e, depois de descobrir a banda francesa Bérurier Noir e ver como eles usavam baterias eletrônicas, ele começou a se interessar por música eletrônica. Depois de se apaixonar pela música de heróis do techno como Juan Atkins, Derrick May e Model 500, Luciano tentou levar sua paixão pela música eletrônica para os clubes de Santiago. Ele entrou no djing devido à sua amizade com Dandy Jack (Martin Schopf) e seu irmão Adrian Schopf. Embora na época ele fosse jovem demais para tocar na maioria dos clubes, ele tocava em locais de rock como La Batula, no Chile, onde o público realmente não apreciava seu som. Mas, apesar disso, ele continuou pressionando sua paixão pelo techno e lentamente começou a ganhar mais e mais seguidores. Logo, muitos se viram convertidos ao techno. Ele começou a tocar muito jovem, mas entrou em produção em 1997, aos 19 anos. Por estar em um círculo bastante pequeno, conheceu Ricardo Villalobos, que estava tocando em suas festas no “Encontro com a Tecnocultura” e com quem ele trabalhou no projeto "Sense Club". Depois de visitá-lo em Ibiza pela primeira vez, Luciano começou sua intriga com a Ilha Branca. Ele tinha apenas 21 anos quando tocou no Love Parade de Santiago antes de se mudar para a Europa para estudar engenharia de som. Ele estabeleceu sua residência no clube Weetamix em Genebra e lançou produções na Mental Groove Records de Oliver Ducret. Em 2001, ele se juntou à família Cocoon em Ibiza e tocou nas notórias noites de segunda-feira em Amnesia. No ano seguinte, Luciano e o DJ e produtor suíço Philippe Quenum lançaram a Cadenza Records. Era para ser uma plataforma para o lançamento de apenas algumas faixas que eles fizeram, mas o enorme sucesso de seu primeiro EP, que apresentou "Orange Mistake", convenceu Luciano e Quenum a continuarem executando o selo. Hoje, é reconhecido como um dos rótulos mais notáveis da cena, graças ao qual artistas como Andrea Oliva, Michel Cleis, Reboot e Argy iniciaram suas carreiras. Estando na Europa, ele tentou encontrar seu próprio espaço propondo um tipo de techno combinado com ritmos latinos quentes, e a proposta era perfeita para a época. Lançamentos muito grandes em selos como M_nus, Desolat, Cocoon, Perlon e Poker Flat começaram a tornar seu nome realmente grande. Foi em 2006 que Luciano firmou parceria com a Circoloco, tornando-se morador do clube por 3 anos. 2009 foi o ano de estreia do “Aether Live”, seu programa futurista de multimídia, que envolveu colegas da Cadenza - Reboot, Mirko Loco, Lee Van Dowski e Digitaline - que se apresentaram usando o Ableton live. Após esse sucesso, Luciano voltou a reivindicar seu nome na cena de Ibiza, lançando um evento gratuito no bar da praia de Ushuaïa, que logo se tornou a maior festa da ilha. Em 2010, o conceito de Vagabundos ganhou vida e se tornou a residência dominical de Pacha. Sua gangue colorida, inspirada em viajantes ciganos, tornou-se outro ponto de referência em Ibiza. “Vagabundos sin futuro”, vagabundos sem futuro, foi a forma como Luciano e os artistas do selo foram chamados após uma turnê no Brasil, devido ao estilo de vida sem dormir e à festa. Abordando diferentes gêneros musicais, Luciano colaborou em 2012 com Lenny Kraviz em um projeto de pop rock, e os dois se apresentaram juntos no Ibiza Rocktronic Festival. Entre os verões de 2012 e 2013, os festivais Luciano & Friends marcam o ritmo do novo Hotel Ushuaïa. De uma pequena festa em um bar na praia a um grande clube que vendia 4500 ingressos por semana, graças ao nome de Luciano. O verão de 2014 foi o da festa Origins em Amnesia. No ano seguinte, Vagabundos retornou a Pacha para algumas sextas-feiras selecionadas, enquanto Luciano & Friends encontrou sua casa no Destino. 2014 foi também o ano em que a Cadenza Lab e seu segundo selo, Basaec, foram lançados, apresentando suas primeiras produções como Luciæn, na adolescência. Luciano, como muitos artistas multifacetados, também teve outros pseudônimos: Monne Automne, com Argenix Brito e Pier Bucci, e Lucien-n-Luciano como uma versão mais suave de si mesmo e com a qual seu primeiro álbum 'Blind Behavior' foi lançado, em 2004, via Peacefrog Records. Tanto o seu segundo álbum 'No Model No Tool' como o último 'Tribute To The Sun' foram lançados na Cadenza, respectivamente em 2007 e 2009. Lembrar-se de suas produções é certamente “Rise of Angel”, que ficou ainda mais famoso com o remix de Andrea Oliva. Luciano não é apenas um dos maiores artistas da cena eletrônica, ele também é uma pessoa com grande humanidade e um coração ainda maior. Ele demonstrou isso falando abertamente sobre seus problemas pessoais com abuso de substâncias - o que também o levou a uma parada de um ano em 2017 - a fim de criar conscientização no setor. Além disso, junto com sua esposa Francisca e sua irmã Amélie, eles administram a instituição de caridade “One Coin For Life”, com a qual se concentram em aumentar a conscientização cultural e coletar fundos para ajudar a preservar a cultura e a tradição das comunidades em todo o mundo. Além disso, ele participou do projeto "Bridges For Music" na África do Sul, juntamente com Richie Hawtin e Skrillex, como uma oportunidade de mostrar como a música pode ser acessível mesmo em áreas remotas e como pode ser um ponto em comum entre culturas, como prova sua mistura latina e eletrônica. Vários anos se passaram desde o início de sua carreira, quando adolescente, mas ele continua sendo, sem dúvida, um dos artistas mais influentes da cena.

Luciano